quarta-feira, 14 de maio de 2008

Uuffa, vamos tirar as teias de aranha por aqui!!!

Agora tenho certeza que vcs acharam que eu tinha abandonado tudo...NNNAÃAOOOOO....estou de volta, é que aconteceram tantas coisas...

Vou começar falando do dia 03/05/08 que foi níver da minha mãezona e eu não posso de deixar de homenageá-la aqui:
Mãe te amo demais e espero que ainda comemoremos muitos e muitos aniversários juntas e espero também chegar aos 63 anos enxutona assim rrrss.Bjim
Dia 06/05/2008 - Consulta com a obstetra
Fui dormir no dia 05/05 com dores estranhas, umas fisgadas que pareciam ir parar no útero e com a pressão muito baixa: 9 por 3, acordei no dia 06/05 ainda sentindo as dores e resolvi não ir trabalhar e esperar a consulta da médica em casa quietinha, a consulta foi às 16:30 e quando cheguei lá as dores estavam bem piores, quando ela me examinou percebeu que eram cólicas de rins e queria me internar com urgência (como neném estava tudo ótimo, escutei o coraçãozinho e tudo bem) eu pedi para ficar tomando buscopan comprimido até a manhã seguinte pois não queria passar a noite no hospital e assim foi feito, passei a noite tomando medicamento e de manhã cedinho estava entrando no hospital para tomar buscopan na veia com soro para lavar meus rins, fique internada até 19:00hs, sentindo só um pouquinho de dor e com a promessa de continuar tomando bastante líquido e o buscopam de 8 em 8 horas, passei os outros dias em casa de molho.
Dia 10/05/08 - Comemoração do Dia das Mães na Escola do Henrique

Tem coisa mais fofa da mamãe???? Não, não.


Dia 11/05/08 - Dia das Mães
Mãe Desnecessária
“A boa mãe é aquela que vai se tornando desnecessária com o passar do tempo”.

Várias vezes, ouvi de um amigo psicanalista essa frase e ela sempre me soou estranha. Até agora, quando minha filha adolescente, aos quase 18 anos , começa a dar os primeiros vôos-solo. Chegou a hora de reprimir de vez o impulso natural materno de querer colocar a cria embaixo da asa, protegida de todos os erros, tristezas e perigos. Uma batalha interna hercúlea, confesso. Quando começo a esmorecer na luta para controlar a super mãe que todas temos dentro de nós, lembro logo da frase, hoje absolutamente clara para mim. Se eu fiz o meu trabalho direito, tenho que me tornar desnecessária.
Antes que alguma mãe apressada venha me acusar de desamor, preciso explicar o que significa isso. “Ser desnecessária” é não deixar que o amor incondicional de mãe, que sempre existirá, provoque vício e dependência nos filhos, como uma droga, a ponto de eles não conseguirem ser autônomos, confiantes e independentes. Prontos para traçar seu rumo, fazer suas escolhas, superar suas frustrações e cometer os próprios erros também.
A cada fase da vida, vamos cortando e refazendo o cordão umbilical, como bem resumiu a psicóloga e educadora Lídia Aratangy. A cada nova fase, uma nova perda e um novo ganho, para os dois lados, mãe e filho. Porque o amor é um processo de libertação permanente e esse vínculo não pára de se transformar ao longo da vida. Até o dia em que nossos filhos se tornam adultos, constituem a própria família e recomeçam o ciclo.
O que eles precisam é ter certeza de que estamos lá, firmes na concordância ou na divergência, no sucesso ou no fracasso, com o peito aberto para o aconchego, o abraço apertado, o conforto nas horas difíceis.
Pai e Mãe – solidários – criam filhos para serem livres. Esse é o maior desafio e a principal missão. Ao aprendermos a ser “ desnecessários”, nos transformamos em porto seguro para quando eles decidirem atracar.

Márcia Neder - diretora de redação da Editora Abril
Que cada uma possa se alegrar e se orgulhar de ser uma mãe “desnecessária”.

Comecei o dia ganhando um café da manhã na cama feito pelos meus dois amores:

Depois almoço na casa da sogra... e lanche na minha mãe.


Dia 12/05/08 - Segundona brava, começa tudo de novo...
Trabalhei a beça, coloquei minhas coisas em dia, fui na terapia as 18:15hs, tudo beleza, passei na minha mãe, peguei o Henrique na mamãe, senti uma pontada, passei no vídeo pra entregar uns filmes e as pontadas foram piorando (havia tomado o último buscopan no domindo à noite), custei a entrar na garagem com o carro por causa da dor... a sorte que o Rodrigo chegou logo atrás de mim, ele havia ido mais cedo pra academia e então chegado mais cedo, as dores estavam cada vez piores, liguei pra minha médica chorando, ela queria que eu descesse novamente pro hospital, eu não quis ir, perguntei se podia continuar com o buscopam e ela mandou eu tomar de 6 em 6 horas, como eu havia ficado o dia todo sem tomar ele custou a fazer efeito, as dores foram melhorar um pouco eram mais de 22:30hs aí eu consegui dormir....
Dia 13/05/2008 - Descobrimento
Acordei só com um pouco de dor, tomando o remédio de 6 em 6hs, então fui trabalhar, eram umas 9:00 comecei a sentir as dores de novo, fui no ambulatório e um dos médicos do trabalho que também é urologista chegava depois do almoço, algumas vezes chorei por causa da dor, custei almoçar e fui conversar com o médico, ele pediu pra eu ir fazer um ultrassom de urgência porque tudo indicava que era um cálculo renal, às 14:30hs estava fazendo o ultrassom e descobrimos era uma pedra já no uretér, de 4mm, e toda pontiaguda.
Hoje
Continuo tomando o buscopam pra dor e muita água e esperando a danada da pedra resolver sair, as vezes as cólicas vem e vão e estou tentando suportar. Só quero que ela saia logo pra eu me livrar disso, grávida de 4 meses e com pedra e cólica renal ninguém merece....
Bjos

4 comentários:

patthy disse...

oi patitinha

desejo melhoras pra vc viu? se cuida mesmo! vc vai ficar boa logo se deus quiser!

beijaooooo

Anônimo disse...

Pati....
puxa espero que essa pedrinha se va logo!!!!
Se cuida, ja tomou quanto de agua hoje???? (sao 8:30)
Deus te proteja
Um beijao
Dani Udi

Anônimo disse...

OI PAT, MENINA, PQ VC SUMIU DO MEU BLOG? SEUS COMENTARIOS E SUAS DICAS SEMPRE FORAM TAO IMPORTANTES!

BJS
DANI
WWW.MINHAREDUCAODEESTOMAGO.ZIP.NET

Ingrith disse...

Qtas novidades... seu filhote é lindo!

Melhoras pra vc